Com coronavírus, Heleno descumpre quarentena e volta a trabalhar no Planalto

O ministro-chefe do GSI ficou em isolamento domiciliar por sete dias. A recomendação do Ministério da Saúde são 14 dias isolados

Presidente Jair Bolsonaroparticiap do lançamento da Agenda Mais Brasil acompanhado pelos ministros Paulo Guedes (Economia) Baraga Neto (Casa Civil), general Heleno, no Palácio do Planalto. Sérgio Lima/Poder360 04.02.2020

O ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Heleno, voltou a despachar do Palácio do Planalto nesta quarta-feira 25. Com isso, o ministro que testou positivo para o coronavírus em um segundo exame no dia 18 de março, descumpre a recomendação do Ministério da Saúde de permanecer em isolamento por 14 dias. Heleno ficou em isolamento domiciliar por sete dias.

À reportagem da Folha de São Paulo, o GSI informou que o ministro recebeu autorização médica para retomar sua rotina de trabalh​o. Heleno tem 72 anos e faz parte do grupo de risco para o Covid-19. Ainda de acordo com a reportagem, o chefe da ajudância de ordens​ da Presidência da República, major Mauro Cid, também voltou a despachar normalmente.

Cid também testou positivo para o coronavírus no dia 20 de março. O anúncio foi feito pelo próprio presidente Jair Bolsonaro. O militar esteve presente na comitiva presidencial que viajou aos Estados Unidos. Ao todo, 23 integrantes do comboio foram infectados pelo coronavírus.

Em pronunciamento feito na terça-feira 24, o presidente Bolsonaro voltou a criticar as medidas de contenção adotadas contra o coronavírus, falou em histeria por parte da imprensa, e voltou a comparar o vírus a um “resfriado” ou “gripezinha”. Bolsonaro também questionou o fechamento das escolas, defendeu o isolamento vertical – a quarentena para os idosos – e incentivou que a população retome vida normal.

Um novo balanço divulgado pelo ministério da Saúde nesta quarta-feira 25 contabilizou 2433 casos de coronavírus e 57 mortes no País. São 1.404 casos na região Sudeste, 390 no Nordeste, 313 no Sul, 221 no Centro-Oeste e 105 no Norte. Há casos confirmados em todos os estados e no Distrito Federal. Foram identificadas pessoas infectadas, principalmente, em São Paulo (862), no Rio de Janeiro (370), no Ceará (200) e no Distrito Federal (160).

Fonte: Carta Capital

Comentários

Deixe uma resposta