Sindicatos fantasmas em Belo Horizonte

REPORTAGEM EXCLUSIVA:

Sindicatos de Caminhoneiros da Grande BH, são fantasmas, só existem no papel.

Foto: O Globo

 

Nos últimos dias a Polícia Federal investigou diversos sindicatos de Minas Gerais. A Operação Registro Espúrio foi deflagrada no dia 30 de maio, e seu objetivo é desarticular organizações criminosas que atuam na concessão fraudulenta de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho.

Segundo a Federal, os investigados responderão por organização criminosa, corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro. Após cerca de um ano, as investigações revelaram um amplo esquema de corrupção dentro da Secretaria de Relações de Trabalho do Ministério do Trabalho, com suspeita de envolvimento de servidores públicos, lobistas, advogados, dirigentes de centrais sindicais e parlamentares.

São 64 mandados de busca e apreensão, 8 mandados de prisão preventiva e 15 mandados de prisão temporária, que foram expedidos pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Eles estão sendo cumpridos no Distrito Federal, São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais.

Os sindicatos fantasmas de Minas Gerais

Na grande Belo Horizonte, existem diversos sindicatos de caminhoneiros autônomos, de acordo com o site da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, e no site do Ministerio do Trabalho e Emprego – MTE, que se encontram com situação ativo mas que na verdade, não existem. Nossa Equipe de reportagem percorreu quatro destes endereços, dentro da Grande BH em busca do sindicato para averiguar a real situação da existência.

Sindicato de caminhoneiros de “S” (Grande BH)

Qual não foi a surpresa, os endereços de funcionamento dos sindicatos de caminhoneiros autônomos da grande BH estão em casas residenciais e quando perguntados pela nossa equipe, vizinhos disseram nunca ter ouvido falar de sindicato nestes endereços, na rua ou sequer nos bairros.

J.P*, caminhoneiro autônomo, conversou com nossa equipe, e mostrou uma série de documentos que atestam que diversos sindicatos, em conluio com a federação possuem uma série de irregularidades. As irregularidades vão desde sindicatos que existem apenas no papel (sem sedes físicas) e que cujos endereços estão no mome de laranjas (terceiros usados com o fim de despistar), sindicatos fantasmas que não possuem filiados (sindicalizados) ou ofícios datados e assinados das pautas dos sindicalizados, tampouco documentos comprobatórios que comprovem seu funcionamento, líderes sindicais de motoristas autônomos mas que na verdade, nunca foram motoristas de caminhão, e que estiveram ligados as lideranças do movimento grevista encerrado no último domingo (03).

Sindicato de caminhoneiros de “R” (Grande BH)

 

Estes líderes sindicais, incitaram os motoristas autônomos a desacreditarem na representação da categoria e a reinvidicar outras pautas como o Fora Temer, a famigerada intervenção militar, o fim da política de preços da Petrobrás, a revisão dos pedágios e outras diferentes das petições exigidas pelos representantes legais da categoria.

De acordo com J.P, “tem presidente de dois Sindicatos em duas cidades mineiras distintas, o que pela lei é considerado como prática ilícita”. Com um vasto capital monetário, estes articulam com membros do judiciário e personalidades políticas dentro e fora do estado. O grande capital, articulado com importantes personalidades e sindicatos escussos à categoria que juntos promoveram um lockout do setor de transportes e usaram os motoristas autonomos como boi de piranha para beneficiarem seus próprios interesses.

As negociações ocorridas no último domingo (25) em Brasília e que levou ao atendimento parcial das pautas dos caminhoneiros, não contou com representatividade dos sindicatos de Minas. Essa ausência, denuncia J.P, “depois que você viu as falcatruas dos sindicatos  aqui em Minas, e o porquê não tinha entidade representativa, é fácil entender: é que na grande Belo Horizonte a maioria dos sindicatos é fantasma, não existe.”

J.P*: é motorista autônomo, e solicitou a nossa equipe manter seu anonimato.

Nota da Redação: Reiteramos que nosso compromisso é com a VERDADE, mesmo que esta atinja os interesses da alta burguesia da cidade, sua sede de poder e seu capitalismo exarcebado, continuaremos a prezar pela MÍDIA LIVRE, INDEPENDENTE E IMPARCIAL.

Fonte: com informações de Rovena Rosa/Agência Brasil

Comentários

Deixe uma resposta