Movimentos populares distribuem 2 toneladas de alimentos em Montes Claros (MG)

Ação de solidariedade em comemoração pelo Dia do Trabalhador e Trabalhadora Rural

Foto: MST

No último sábado, dia 25 de julho, movimentos populares de Montes Claros e Norte de Minas Gerais realizaram uma ação de solidariedade em São Geraldo II, região da cidade. De um lado, o trabalho arrecadou quase duas toneladas de alimentos produzidos pelos agricultores do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Sem Terra (MST). De outro lado, repassaram os alimentos a 200 famílias acompanhadas pela Pastoral da Criança.

“A ação de solidariedade é a materialização de uma rede, formada pela sociedade civil, de socorro ao povo mais necessitado, de amparo às famílias que os governos, municipal, estadual e federal não conseguem alcançar. Nos fez lembrar os velhos tempos e a urgência de recuperarmos a nossa soberania com a unidade e sinergia das lutas sociais”, comenta Samuel Costa, da Coordenação Regional do MST.

O trabalho coletivo, coordenado pelo Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Sem Terra (MST) e pelo Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas  (CAA), teve o apoio da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Pastoral da Criança e da Comissão Estadual de Povos e Comunidades Tradicionais.

Doadores

Os alimentos doados foram produzidos por famílias agricultoras de áreas de assentamento e acampamento do MST, dos municípios de Montes Claros, Bocaiuva, Olhos D’Água, Engenheiro Navarro, Pedras de Maria da Cruz, por famílias geraizeiras da região do Alto Rio Pardo, na Escola de Experimentação mantida pelo Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas.

Para a representante do Centro de Agricultura Alternativa Joeliza de Brito, a ação, mais do que um ato de celebração, aponta para a necessidade da participação e da articulação de todos os segmentos da sociedade civil como forma de intervenção e apoio aos mais impactados pela crise sanitária e econômica. “Essa ação demonstra que o caminho para salvar os mais fragilizados, os mais impactados pela pandemia será o de ações em rede. No mundo inteiro tem sido assim. E aqui, no Norte de Minas, com as experiências que já acumulamos, como a da Articulação Rosalino, não seria diferente”.

A fartura produzida nos gerais chegou à mesa de 200 famílias assistidas na região do São Geraldo II pela Pastoral da Criança. A comissão acompanha em toda cidade de Montes Claros cerca de 9 mil famílias, com crianças de até cinco anos de idade, em extrema vulnerabilidade social. Participaram da ação de solidariedade a Arquidiocese de Montes Claros, o Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Social da Unimontes e a UJR – União da Juventude Rebelião.

Fonte: Brasil de Fato

Comentários

Deixe uma resposta