Governo pode atacar ocupações William Rosa, Marião e Professor Fábio Alves em BH

Moradores das ocupações William Rosa, Marião e Fábio Alves acamparam na Assembleia Legislativa de Minas Gerais nesta quarta-feira (17/12). Eles reivindicavam que o governo Zema garanta moradia para essas famílias.

Foto: Reprodução da internet

A ocupação da Assembleia foi uma resposta ao governador que, além de não apresentar qualquer política pública que resolva o problema da falta de moradia em Minas Gerais, ainda ameaça romper com o acordo de pagamento da bolsa moradia para as famílias das ocupações William Rosa e Marião e despejar os ocupantes da Ocupação professor Fábio Alves.

Depois de forte mobilização na Assembleia Legislativa as famílias das ocupações conseguiram agendamento de reunião com a Secretaria de Governo do Estado e com o planejamento para quinta-feira às 9h.

Essa será a primeira reunião com os movimentos populares e a secretaria de governo. Diante da marcação da reunião os moradores definiram por suspender o acampamento e voltar na quinta-feira para acompanhar a reunião.

Entenda o caso

O problema das famílias das ocupações William Rosa e Marião já se estende há mais de dois anos, quando os ocupantes saíram do terreno ocupado em Contagem após um acordo de realocação dos mesmos em unidades habitacionais que seriam construídas no prazo máximo de dois anos.

Desde então nenhuma negociação garantiu a moradia dessas famílias que vivem na insegurança do pagamento da bolsa moradia que, ao atrasar constantemente, causa inúmeros problemas para essas pessoas que já são tão carentes e desassistidas por esse Estado burguês.

Zema ameaça agora não garantir o auxílio moradia e, sem oferecer nenhuma saída, jogar o povo pobre trabalhador na rua.

O governo do estado diz que não tem dinheiro para nada, mas tem sim para garantir os privilégios dos grandes empresários através das privatizações e isenções fiscais, e não vê problema em consumir os impostos de toda sociedade para beneficiar os ricos.

Além de não implementar uma política pública que dê condições de moradia para grande parte da população, ainda irá tirar de suas casas quase 700 famílias que hoje ocupam um terreno no Barreiro.

No dia 18/12 será votado o orçamento de 2020, estamos aqui para exigir do governador Zema a garantia do bolsa aluguel e, posterior, construção das unidades habitacionais e também a solução para o problema de moradia para as famílias da Ocupação professor Fábio Alves. Mais do que isso, reivindicamos destinação de recursos públicos para moradias populares.

 

Enquanto morar for um privilégio, ocupar é uma obrigação!

 

Ocupações William Rosa, Maridão e Professor Fábio Alves

Luta Popular – CSP – Conlutas

Fonte: CSP Conlutas

Comentários

Deixe uma resposta

Fechar Menu