ALMG suja de Lama

Grupo que participa do protesto jogou lama na escadaria da Assembleia, onde deputados tomam posse hoje

No mesmo dia em que deputados estaduais eleitos tomam posse na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), a sede do Legislativo mineiro tornou-se palco de uma manifestação nesta sexta-feira (1º). Dezenas de pessoas reuniram-se diante do prédio da ALMG para reivindicar mudanças na legislação relacionada às atividades de mineração no Estado. O protesto é uma resposta ao rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na região metropolitana de BH, e aos desdobramentos da tragédia da Samarco ocorrida em Mariana, há cerca de três anos.

Entre os manifestantes, um grupo completamente coberto de lama – em referência aos rompimentos de barragens em Minas -, chamou atenção de quem esteve ou passava pelo local. Faixas e cartazes com palavras de ordem também saltavam aos olhos. Uma delas expôs, com um logotipo da Vale, o seguinte questionamento: “Quanto vale a vida?” para falar sobre o número de mortos, que chegou a 110 nessa quinta (31). Outras 238 pessoas seguem desaparecidas.

Presidente do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio das das Velhas, e do Fórum Mineiro de Bacias Hidrográficas, Marcus Vinícius Polignano, conversou com o BHAZ a respeito da manifestação. “Essa lama respinga na Assembleia, ela é responsável por isso. Se tivesse tomado medidas quando do rompimento de Mariana, provavelmente Brumadinho não teria acontecido”, disse.

Polignano ainda explica que o protesto reivindica a criação de uma CPI da mineração, mas não apenas. “A lama também é responsabilidade dessa assembleia e só não muda se não tiver vergonha na cara. Mais do que uma CPI, queremos mudança na legislação, para mudar a história desse negócio”, explicou.

Fonte: BHAz

Comentários

Deixe uma resposta