Vale assassina: manifestação contra o crime em Brumadinho

Movimentos sociais, ambientalistas e a população manifestaram em frente ao Museu de metal e minério (monumento da lama) mantido pela companhia Vale.

Crime em Brumadinho Foto: Léo Vieira

No dia em que se completa 7 dias desde o desastre do rompimento da barragem do córrego do feijão, em Brumadinho, que já vitimou 99 pessoas e que ainda possuem mais de 280 pessoas desaparecidas, movimentos sociais, ambientalistas e a população se solidarizou com as vítimas e familiares dos atingidos e protestou contra a Vale.

Com cartazes, gritos de “Vale Assassina”, “Mineração que mata” e “Chega de mar de lama”, mais de 500 militantes se reuniram hoje (31) na Praça da Liberdade para exigirem uma resposta da empresa, e cobrarem dos poderes públicos ações efetivas e o devido suporte e pagamento das indenizações aos familiares dos atingidos.

#ValeMata

O desastre-crime de Mariana, passados 3 anos e 2 meses, de nada ensinaram aos nossos governantes que o problema de barragens é crítico, e os lobbistas das empresas que simplesmente almejam o lucro e o acúmulo de $$$$$$$, não se preocupando com as vidas das pessoas. Basta de nos matarem. Chega de mar de lama.

#Vale Assassina

#ValeAssassina

#CrimeDaValeEmBrumadinho

#ChegaDeBarragens

#MarDeLamaNuncaMais

Comentários

Deixe uma resposta