Suspender vagas para trans é jogar fora recursos públicos, diz professora da Unilab

Luma Nogueira, primeira travesti doutora e a lecionar numa universidade federal do Brasil

A professora Luma Nogueira de Andrade, primeira travesti a lecionar numa universidade federal do Brasil e responsável por impulsionar o edital para destinar vagas ociosas a transgêneros na Unilab, diz que a intervenção do MEC contra processo seletivo “atende a uma agenda conservadora” e é jogar fora recursos públicos. Uma semana após lançar um edital para destinar vagas ociosas a candidatos transgêneros, não binários e intersexuais, a Unilab (Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira) decidiu suspender e anular o processo seletivo. A decisão foi anunciada nesta terça-feira (16) pelo presidente Jair Bolsonaro em suas redes sociais. Segundo ele, a “suspensão imediata do edital e sua anulação a posteriori” foi deliberada pela reitoria da Unilab após “intervenção” do MEC (Ministério da Educação) contra a medida.
Fonte: uol.com.br
Comentários

Deixe uma resposta

Fechar Menu