Torcidas organizadas do Atlético e movimentos sociais fazem ato contra Bolsonaro em BH

Com gritos de “Bolsonazi miliciano” e faixas “Bolsonaro Genocida”, integrantes da torcida organizada do Galo Resistência Alvinegra e movimentos sociais progressistas marcaram presença na manha deste domingo (24)

Foto: Léo Vieira

Movimentos sociais antifascistas e torcidas organizadas do Atlético se uniram na manhã deste domingo (24) na Praça da Bandeira, em Belo Horizonte para manifestar contra a reabertura do comércio e exposição das pessoas à pandemia do novo corona vírus. Moradores locais que passavam pelo local apoiaram o movimento, mostrando que os maiores interessados em reabrir o comércio e terminar com a quarentena, são os empresários e os burgueses, que visam o lucro acima da vida das pessoas.

“Precisamos retomar as ruas, os bolsominios (adoradores cegos do presidente Bolsonaro) estão fazendo carreatas e achando que toda a população está apoiando esse fascista. Estamos aqui pra mostrar que BH também está na luta contra o fascismo.”, afirmou Rafael, um dos organizadores do ato.

Os atos vêm acontecendo e sendo organizados por torcidas organizadas de todo o país, em São Paulo, torcedores da Gaviões da Fiel e do Fortaleza, no Ceará também ocuparam as ruas denunciando as carreatas de morte que os apoiadores do presidente Jair Bolsonazi vem promovendo.

Foto: Léo Vieira

Contra fascistas não tem diálogo

Sexta-feira após divulgação do vídeo denunciado pelo imoral ex juiz Sergio Moro,  ficou visível os planos nefastos de BolsoNero. Este declarou abertamente que interferiu na Policia Federal e que irá interferir com intenção de blindar sua família contra investigações em curso e de que vai armar a população para lutar contra o comunismo (que só existe na cabeça acéfala dele).

“A população acha que o (des)governo do Bozo não é fascismo, não é ditadura. Mas estamos a um passo disso. Depois desse vídeo, ficou claro que ele faz uso de formas arbitrárias para chegar ao poder e para se manter nele. Hoje estamos aqui para lutar pelo básico. Lutar pela liberdade. Pela Democracia. Fascismo não!”, afirma Cris, integrante do Resistencia Alvinegra.

“Todos que quiserem somar estão convidados. Aqui não tem Cruzeiro, Galo, América, nem time nenhum. Não tem PT, PDT, PSOL, Nosso inimigo é o mesmo. É o autoritarismo fascista chamado governo Bolsonaro. Hoje, todos nós somos antifascistas, e contra fascistas não tem diálogo!”, afirma integrante da coordenação do ato.

Fotos: Léo Vieira/Planeta MG

Comentários

Deixe uma resposta