Sara Winter, militante bolsonarista, é presa pela PF

O mandado de prisão foi autorizado pelo Supremo Tribunal Federal

Foto: Diário do Nordeste

A ativista Sara Winter, apoiadora do presidente Jair Bolsonaro e integrante do grupo “300 do Brasil”, foi presa na manhã desta segunda-feira 15, em Brasília.  O mandado foi autorizado pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

Sarah é uma das investigadas no inquérito das fake news do STF.  A prisão, no entanto, saiu de outro inquérito, do que apura a realização de atos antidemocráticos, também sob relatoria de Moraes. Há outras medidas em andamento.

O pedido contra a bolsonarista foi feito pelo vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, na sexta-feira 12.

Neste final de semana, o grupo liderado por Sara atirou  fogos de artifícios contra o prédio do STF.  E essa não foi a primeira ameaça da bolsonarista contra a corte. Após ter sido alvo de busca e apreensão, a ativista publicou um vídeo em suas redes sociais ameaçando Moraes e outros ministros.

Sara e seu movimento fascista e segregacional “Os 300” Foto: Valor Econômico

Neste sábado (13), o acampamento do movimento liderado por Sara foi desmontado pelo governo do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), que pediu reação do presidente Jair Bolsonaro. Após a decisão, Sara publicou um vídeo em suas redes chamando o governador de bandido e o STF de ditadura comunista.

Fonte: Carta Capital

Comentários

Deixe uma resposta