“E daí? Lamento, quer que eu faça o quê?”, diz Bolsonaro sobre recorde de mortos

Presidente da República foi perguntado sobre o número de óbitos do Brasil ter ultrapassado o da China

Foto: Reprodução/ Facebook

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira 28 que lamenta, mas não pode fazer nada em relação ao novo recorde de mortos pelo coronavírus no Brasil. Em 24 horas, o país contabilizou 474 vítimas fatais da doença.

Com a nova marca, o Brasil superou a China no número total de óbitos. “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre”, afirmou o presidente, em frente ao Palácio da Alvorada.

Bolsonaro declarou ainda que quem tem que explicar os números é o ministro da Saúde, Nelson Teich. No entanto, Teich também economizou nas informações e se limitou a fazer uma coletiva “relâmpago” após o recorde.

Durante a entrevista, uma jornalista disse ao presidente:
“A gente ultrapassou o número de mortos da China por covid-19”.

O presidente, então, afirmou:
“E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre”, disse, em referência ao próprio sobrenome. pic.twitter.com/tTBppLuMZg

— Adlan Bismark (@adlan_o_sincero) April 29, 2020

Anteriormente, o número mais elevado era de 23 de abril, com 407 vítimas de um dia para o outro. Na ocasião, o ministro da Saúde justificou que o número era resultado de um acúmulo de casos anteriores. No entanto, com a manutenção do índice elevado, Teich resolveu assumir que a tendência da epidemia é de piora e que a curva sobe.

No índice total de letalidade, o Ministério a Saúde informou 5.017 mortos pela covid-19. A China registrou 4,6 mil óbitos por causa da doença.

 

 

Comentários

Deixe uma resposta