Duda Salabert anuncia desfiliação do PSOL por motivo de transfobia

Foto: Facebook

A professora mineira Duda Salabert, primeira travesti a candidatar-se a um cargo no Senado, anunciou desfiliação do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), na noite deste domingo (21), pelas redes sociais.

Em publicações feitas no Instagram e no Facebook, Duda afirmou que deixa o partido “por não concordar com a transfobia estrutural”. A diretoria da sigla em Belo Horizonte discordou da decisão e lamentou a postura adotada pela ativista.

“Enquanto mulher transexual, não posso endossar uma estrutura que se apropria da luta e da identidade trans para privilegiar figuras e candidaturas já privilegiadas”, diz a professora.

Apesar da desfiliação, Salabert destacou que não deixará a vida política e observou que vai ocupar o debate para colocar em protagonismo bandeiras da educação, meio ambiente e diversidade. “No atual contexto de crise da democracia, entendo que ocupar a política e disputar as eleições não me é uma escolha, mas uma obrigação”, apontou.

Em nota, o PSOL BH informou que recebeu com tristeza o pedido de Duda, mas que discorda dos motivos apresentados pela ativista. “Nosso partido é, todos os dias, um instrumento de combate a desigualdade, ao racismo, machismo, homofobia e transfobia, em que pese as manifestações estruturais de nossa sociedade, da qual não estamos imunes”, diz o texto publicado na página oficial do Facebook.

A direção do partido em BH também informou que manterá, para a próxima quarta-feira (24), um encontro para discutir o desligamento da ex-filiada Indianare Siqueira, feito no início deste mês.

NOTA DO PSOL BH SOBRE PEDIDO DE DESFILIAÇÃO DE DUDA SALABERT

É com tristeza que recebemos o pedido de desfiliação da companheira Duda, que foi nossa candidata ao senado. Discordamos com os motivos apresentados, nosso partido é, todos os dias, um instrumento de combate a desigualdade, ao racismo, machismo, homofobia e transfobia, em que pese as manifestações estruturais de nossa sociedade, da qual não estamos imunes. Seguiremos, com certeza, na mesma trincheira de oposição ao Bolsonaro.
Reafirmamos o compromisso com o enfrentamento cotidiano a essas práticas. Como já informado internamente, mantemos para o dia 24 de abril às 19h, reunião da setorial LGBTIQA+ do PSOL BH para discutir o caso

Indianare.
Executiva Municipal do PSOL BH

Fonte: Hoje em Dia

Comentários

Deixe uma resposta