Bolsonaro volta a criticar governadores e diz que quarentena é um “crime”

O presidente reafirmou o pronunciamento feito nesta terça-feira e defendeu que o Brasil coloque o povo para trabalhar

Foto: Reprodução da internet

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar os governadores, chamou novamente o coronavírus de histeria e disse que a quarentena, que foi determinada em alguns estados, é um crime. A declaração foi dada nesta quarta-feira 25, na saída do Palácio da Alvorada.

“Precisa botar esse povo pra trabalhar. Preservar apenas os idosos e aqueles que têm problema de saúde. O que aconteceu no Chile vai ser fichinha com o que pode acontecer no Brasil. Vamos ficar no caos, e o vírus também vai continuar”, defendeu o capitão.

O presidente disse que pretende colocar em prática no país um isolamento vertical, que colocaria em quarentena apenas as pessoas que fazem parte do grupo de risco. “Vou conversar com ele [Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde] e tomar a decisão. Cara, você tem que isolar quem você pode. Você quer que eu faça o quê? Eu tenho o poder de pegar cada idoso e levar para um lugar? É a família dele que tem que cuidar dele no primeiro lugar”, afirmou o presidente

​​​Em pronunciamento na noite desta terça-feira (24), Bolsonaro criticou o fechamento de escolas e do comércio, contrariou orientações dos órgãos de saúde e atacou governadores. ​As declarações imediatamente provocaram repúdio de congressistas, governadores, no Judiciário e em diferentes setores da sociedade.

O presidente disse que está feliz com as críticas, pois quem o critica nunca fez nada pelo Brasil. “Quero levar à população mensagem de paz e serenidade. O que eles estão fazendo é um crime, estão arrebentando o Brasil”, encerrou o presidente.

Fonte: Carta Capital

Comentários

Deixe uma resposta