Após chamar nordestinos de “paraíba”, Bolsonaro diz que ama o Nordeste

Presidente deu a declaração durante inauguração de aeroporto na cidade de Vitória da Conquista, na Bahia

FOTO: ALAN SANTOS/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que ama o Nordeste, em discurso nesta terça-feira 23, na cidade de Vitória da Conquista, na Bahia. Bolsonaro fez a declaração durante inauguração do aeroporto Glauber Rocha. A visita do presidente ao Estado ocorre após fala polêmica na última sexta-feira 19, em que disse, informalmente, ao ministro Onyx Lorenzoni, durante café da manhã com jornalistas, que “daqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão”, em referência ao governador Flávio Dino (PCdoB). O áudio foi captado pela TV Brasil.

“Eu amo o Nordeste. Afinal de contas, a minha filha tem, em suas veias, sangue de cabra da peste”, disse o presidente. Em outro momento, Bolsonaro também disse não haver diferenças entre a região nordestina e o resto do País. “Não estou em Vitória da Conquista, nem na Bahia, nem no Nordeste. Estou no Brasil. Não há divisões entre nós, sexo, raça, cor, religião ou região. Somos um só povo.”

Presente no evento, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), recebeu afagos do presidente, que elogiou a carreira do falecido avô, ACM. “Conheci um homem forte, combativo, leal e extremamente preocupado para com o seu povo da Bahia.” O presidente também animou a plateia: “Quem é nordestino aqui, levanta o braço! Quem concorda com o presidente Jair Bolsonaro levanta o braço! Estamos juntos ou não estamos?”.

O prefeito de Vitória da Conquista, Hérzem Gusmão (MDB), também esteve na cerimônia. Quem se recusou a participar foi o governador da Bahia, Rui Costa (PT). Ele próprio convidou o presidente da República para presenciar a inauguração, entretanto, decidiu se fazer ausente após considerar que Bolsonaro restringiu o evento a poucos convidados. “Fazer uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo como se fosse uma convenção político-partidária. Não posso concordar com isso.”

Antes de embarcar para a Bahia, o presidente da República reclamou, em sua conta na rede social Twitter, sobre o ato de Costa em não ceder policiais militares para fazer a segurança do evento, classificando-o como “lamentável”. O governador argumenta que o Exército já cumpre a tarefa e que não era necessário reforçar a segurança. “Se a pessoa está com receio popular, porque está com alta taxa de reprovação, fica em seu gabinete”, comentou Costa.

A declaração de Bolsonaro sobre os governadores do Nordeste, na semana passada, gerou insatisfação entre os gestores estaduais da região, que publicaram uma carta em conjunto. No documento, os governadores dizem que receberam a notícia com “espanto e profunda indignação” e exigiram esclarecimentos. Dino, do Maranhão, defendeu, em sua rede, que “independente de suas opiniões pessoais, o presidente não pode determinar perseguição contra um ente da Federação”.

Fonte: Carta Capital

Comentários

Deixe uma resposta