Metrô de BH apoia caminhoneiros e entra em greve

Em apoio a paralisação dos caminhoneiros, o Sindicato dos Metroviários de Belo Horizonte decidiram aderir à greve

Foto: Divulgação Sindimetro-MG

 

A partir da meia-noite da próxima terça-feira (29) o metrô de Belo Horizonte entrará em greve, e por tempo indeterminado. Segundo o Sindicato dos Empregados em Transporte Metroviários de Conexos de Minas Gerais (Sindimetro-MG)  os trens vão funcionar em escala reduzida, de 5h30 às 9h30. A principal reivindicação da classe é aa solução de problemas causados pelo Dissídio Coletivo 2017-2018. De acordo com o comunicado o mesmo retira os direitos trabalhistas da classe.

Reajuste Salarial

Desde maio de 2017 é aguardada uma solução para o reajuste salarial, no Acordo Coletivo de 2018, a CBTU suspendeu as negociações para apresentar ao Tribunal do Trabalho uma proposta que retira direitos adquiridos. O aumento do salário mínimo foi o menor dos últimos 24 anos. O percentual foi de 1,81% (míseros R$ 17,00).

A inflação crescente, o aumento alarmante dos preços do combustível, gás, a conta de luz, da água, o aluguel, e, como se não bastasse, o governo entreguista deTemer, responsável pela empresa do metrô, a CBTU – quer aumentar em quase 90% a tarifa do metrô para os usuários novamente, o trabalhador pagar a conta da corrupção deles.
Direitos trabalhistas retirados

A categoria, por entender que a situação é muito grave, decidiram que farão o possível para evitar o arrocho salarial e a retirada de direitos. Por isso, a única solução foi optar pela greve, para que o governo que só tem olhos para atender os interesses dos patrões, banqueiros, fazendeiros e empresários estrangeiros, pare de retirar os direitos trabalhistas.

Fonte: SINDIMETRO-MG

Comentários

Deixe uma resposta

Fechar Menu