Bolsonaro confirma fusão das pastas da Agricultura e do Meio Ambiente

Após reunião sobre transição de governo, futuros ministros do presidente eleito garantiram também criação de “superministério” da Economia

Futuros ministros de Bolsonaro, Lorenzoni e Guedes confirmaram as fusões/ Mauro Pimentel / AFP

Após a primeira reunião sobre a transição de governo, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, confirmou por meio de seus dois futuros ministros, Onyx Lorenzoni e Paulo Guedes, a fusão dos ministério da Agricultura e do Meio Ambiente e a criação de um superministério da Economia. 

Guedes deve comandar um único ministério que irá fundir as pastas da Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio Exterior. 

Ao longo da campanha, Bolsonaro chegou a recuar das duas propostas. 

A fusão dos ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente é alvo de crítica de diversos ambientalistas, já que são pastas com preocupações diametralmente opostas. 

Durante a campanha, a equipe técnica do PSL rejeitou a fusão das pastas do Meio Ambiente e da Agricultura, bem como a retirada do Acordo de Paris. Dois dias depois, no entanto, Bolsonaro reafirmou a ideia de unificação em entrevista a Rede Record. 

Cotado para assumir o ministério, Luiz Antonio Nabhan Garcia esteve com o candidato no dia 24 de outubro e, após a reunião, afirmou que a fusão poderia ser revista, caso fosse essa a “vontade da maioria da sociedade brasileira”.

Em entrevista recente, Bolsonaro admitiu ainda que poderia manter em separado o Ministério da Indústria e Comércio Exterior por causa de críticas do setor. Guedes chegou a ser questionado sobre essa possibilidade após a reunião desta terça-feira 30. “Nós vamos salvar a indústria brasileira apesar dos industriais”, rebateu. 

Fonte: Carta Capital

Comentários

Deixe uma resposta