Vetar a CoronaVac é um crime contra a saúde do povo, afirmam partidos

Partidos políticos acusam Bolsonaro de fazer demagogia e prometem impedir que o presidente cometa crimes contra a saúde pública.

Fonte: vermelho.org

 

Oito partidos políticos emitiram nota nesta quarta-feira (21) repudiando a decisão do presidente Jair Bolsonaro de cancelar o protocolo assinado pelo Ministério da Saúde para aquisição da vacina a ser produzida pela parceria Sinovac Biotech/Instituto Butantan. Acusam ainda o presidente de ferir o pacto federativo na medida em que os governadores de estado acompanharam e referendaram a assinatura do protocolo.

Os dirigentes partidários afirmam que a vacina está sendo testada com autorização da Anvisa, que dará a palavra final sobre a segurança e eficácia do medicamento. Neste sentido, acusam Bolsonaro de fazer demagogia ao dizer que pretende evitar que o povo sirva de cobaia. Por fim, os partidos afirmam que atuarão, junto com outras forças democráticas, para impedir a ação nociva do presidente da República, que deverá responder por crime contra o Brasil

Leia a íntegra da nota:

Repudiamos e consideramos um verdadeiro crime contra a saúde do povo brasileiro, o possível veto do presidente Jair Bolsonaro à vacina CoronaVac, que está sendo produzida pela empresa chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo.

Ferindo uma vez mais Pacto Federativo, Bolsonaro cancelou um protocolo de compra da CoronaVac assinado pelo seu próprio ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, numa reunião oficial de trabalho com os governadores do país.  

É pura demagogia do presidente afirmar que com este gesto insano pretende evitar que o nosso povo seja usado como “cobaia”.

O Instituto Butantan, respeitado internacionalmente, tem longa tradição na produção de vacinas. A testagem final da CoronaVac está registrada e autorizada pela Anvisa e obedece aos protocolos exigidos. E, evidentemente, somente será aplicada se a Anvisa aprovar considerando-a segura e eficaz.

Nós, partidos que assinamos está nota, iremos em conjunto com outras forças democráticas do Congresso Nacional, atuar para evitar ação nociva do presidente da República à saúde pública e exigir que responda, nos termos da lei e da Constituição, a mais esse crime contra o Brasil.

Brasília, 21 de outubro de 2020

Luciana Santos – Presidenta Nacional do PCdoB

Gleisi Hoffman – Presidenta Nacional do PT

Carlos Lupi – Presidente Nacional do PDT

Juliano Medeiros – Presidente Nacional do PSOL

Carlos Siqueira – Presidente Nacional do PSB

 Roberto Freire – Presidente Nacional do Cidadania

 José Luís Penna – Presidente Nacional do PV

Pedro Ivo Batista e Laís Garcia – Porta Vozes Nacionais da Rede Sustentabilidade

Fonte: vermelho.org

Comentários

Deixe uma resposta