Vereadores denunciam ‘reuniões fantasma’ na Câmara Municipal de BH

Não é somente nas ruas, nos debates e nas redes sociais que a disputa eleitoral deste ano vem sendo alvo de polêmicas. Nessa semana, o vereador de BH Mateus Simões (Novo) denunciou que parlamentares vem obstruindo as plenárias da Câmara Municipal com o objetivo de terem tempo para se dedicar às suas campanhas para a Assembleia Legislativa e para o Congresso Nacional.

Foto: Mila Milowski/CMBH

Os vereadores se articulam entre si para conseguir consumar a obstrução da reunião. “A partir das 15h, é necessário que 21 vereadores marquem presença para dar início à Sessão Plenária. O que acontece: antes disso, geralmente tem em torno de 40 presentes. É só dar 15h que um parlamentar pede verificação do quórum e, automaticamente, só constam 10, 15. Aí, com isso, não tem reunião”, relatou ao Bhaz o vereador Mateus Simões. Atualmente, a Câmara Municipal de BH é composta por 41 vereadores.

Na sessão de terça-feira (2), dia em que realizou a denúncia, Mateus mostra em vídeo o salão principal da Câmara com vários parlamentares presentes, mas com apenas 12 presenças constando na ata. Na ocasião, segundo o próprio vereador, a reunião se encerrou por volta das 15h02. Na ocasião, ele conta com o apoio de Gabriel Azevedo (PHS), Áurea Carolina e Cida Falabella, ambas do PSOL.

Simões faz duras críticas ao fato de a obstrução comprometer seriamente a produção da casa legislativa municipal. “É inacreditável pensar que a Câmara custa R$ 240 milhões por ano e a gente passa dias sem trabalhar sem motivos. É como um universitário que só vai a aula para responder a chamada. A presença dos parlamentares consta em registro, mas a Câmara não produz absolutamente nada. Como se a cidade não tivesse problemas para serem resolvidos”, critica.

Obstrução é comum

Simões relata que observa que o trâmite de obstrução é prática recorrente na Câmara desde que assumiu o cargo. “É bem comum, acontece direto. Afirmo que em 60% das reuniões a gente não discute nada. A diferença é que em outras épocas os vereadores fingem, discutem uma coisa aqui e outra ali e a Plenária dura alguns minutos. Nessa época de campanha eleitoral não, tudo passa em branco. Desde o mês passado, nós só votamos 2 vezes”, denuncia.

Quando questionado em relação a como reverter essa situação, Mateus afirma que só há uma solução: nas urnas. “Só existe um recurso pra isso: votar melhor. Quem pode mudar isso são os próprios vereadores, mas eles não estão muito interessados. É uma situação de quase desespero”, conta.

Fonte: BHZ.com

Comentários

Deixe uma resposta