“Não dê munição ao canalha”, Bolsonaro reage à liberdade de Lula

Em discurso no dia de hoje, Bolsonaro comentou indiretamente a liberdade do ex-presidente, destacando que eles “amantes da liberdade e do bem” são a maioria. Discurso também foi recheado de homenagens a Moro e à defesa do legado golpista do ex-juiz

Foto: Reprodução da internet

Depois da decisão do STF e da confirmação da liberdade do Lula, Bolsonaro conservou um longo tempo calado. Coube aos filhos presidenciais reagirem primeiro criticando a decisão do STF. Apenas no dia de hoje, o presidente compartilhou um posicionamento seu no perfil do twitter.

Amantes da liberdade e do bem, somos a maioria. Não podemos cometer erros. Sem um norte e um comando, mesmo a melhor tropa, se torna num bando que atira para todos os lados, inclusive nos amigos. Não dê munição ao canalha, que momentaneamente está livre, mas carregado de culpa.

Para quem esperava uma reação irada do presidente, atacando a decisão do STF e seus ministros, a fala de Bolsonaro foi bastante calculada. Ele deixou de lado as críticas ao STF, que povoaram as redes sociais bolsonaristas, e buscou se dirigir a um público maior do que sua própria base, afirmando que eles são maioria. Por isso os vários afagos a Moro, e a prestação até de um tributo, retomando o papel decisivo do atual ministro para a consolidação do golpe e a prisão de Lula – “…
se essa missão não fosse bem cumprida eu também não estaria aqui…”.

O único ataque, como não podia deixar de ser da sua parte, foi em direção a Lula – “Não dê munição ao canalha”. Com Lula em liberdade, Bolsonaro pode retomar a posição de líder do espectro anti-petista, amalgamando uma base muito maior do que a sua. Por isso, o intuito não é centrar fogo no STF, papel que pode repassar a seus filhos, mas retomar a cabeça dessa reação que pode ressurgir a partir da liberdade de Lula.

Fonte: Esquerda Diário

Comentários

Deixe uma resposta

Fechar Menu