Meio milhão de mineiros fazem provas do Enem neste domingo; confira o roteiro do candidato

Cerca de 530 mil candidatos fazem, neste domingo (3), as provas do primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Pela segunda vez, os testes serão divididos em duas semanas – dois domingos seguidos. Hoje serão realizadas questões de Linguagens e Códigos, Ciências Humanas e a redação. No próximo domingo (10), será a vez de Ciências da Natureza e Matemática.

Fonte: Reprodução da internet

Os portões dos locais de prova serão abertos ao meio-dia e fecharão pontualmente às 13h, portanto, fique atento para não perder a hora! Com um número grande de pessoas se direcionando aos locais de prova, o transporte por carro particular ou por meio de aplicativo nem sempre será a melhor escolha. A BHTrans reforçou as linhas de ônibus que atenderão um maior número de candidatos. É possível acompanhar o trajeto dos coletivos em tempo real e conferir horários e pontos em que cada ônibus estará por meio do aplicativo Siu Mobile.

Uma novidade este ano é a proibição mais rigorosa quanto a celulares e aparelhos eletrônicos em geral. Mesmo que o candidato tenha guardado os eletrônicos no saco plástico disponibilizado pelos aplicadores de prova, caso um dos aparelhos emita algum som, a pessoa será automaticadamente eliminada do Enem. A dica é retirar, se possível, a bateria do aparelho e, no caso dos celulares, desativar todos os alarmes.

Temida por muitos, a redação será realizada neste primeiro dia de provas. O texto precisa ter no mínimo sete linhas e no máximo 30 e não pode fugir do tema escolhido nem apresentar cópias da questão. Por isso, fique atento a frases de efeito e ao citar ideias de autores sem mencionar as respectivas referências. Esse tipo de falha costuma tirar pontos.

O que pode levar?

Caneta esferográfica preta, com tubo transparente, documento de identificação oficial com foto (identidade, carteira de motorista, carteira de trabalho ou passaporte) e comprovante de inscrição, que pode ser obtido no site do Enem, são os únicos itens permitidos nos locais de prova.

E o que não pode?

Caneta com tubo não transparente ou de cor diferente da preta (azul, por exemplo), lápis, borracha, bloco de notas, boné, gorro, calculadora, relógios e aparelhos eletrônicos, relógio, dentre outros. Os lanches estão liberados, desde que o candidato permita que o aplicador os reviste.

E se der branco na hora da prova?

Desde que você tenha se preparado bem para o exame, há sim o que fazer. Professores consultados pelo Hoje em Dia recomendam lembrar das rimas ou de imagens que tenham sido memorizadas durante os estudos ou ainda de momentos marcantes da rotina pré-Enem.

O gabarito das provas será divulgado no dia 13 de novembro. Já os resultados individuais saem em janeiro de 2020. Para os chamados treineiros, que fazem o Enem apenas para se ambientarem com a prova porque não ainda irão concluir o Ensino Médio até o fim do ano, os resultados devem ser divulgados apenas em março do ano que vem.

Veja o que não poderá ser conduzido pra prova

A onda da vez pode até ser a caneta azul, mas nada de levá-la para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), sob risco de ser sumariamente desclassificado. Hoje, grande dia, quando as expectativas de 5,1 milhões de estudantes do país inteiro se reúnem em 10.133 locais de provas de 1.727 cidades brasileiras, é bom ficar atento para não ser traído pela falta de atenção. Não só relativa à leitura dos enunciados, mas aquela fruto da distração com o que pode e o que não pode ser levado para o teste. Se pisar em falso, outra chance só no ano que vem. Especialista avisa que, à véspera da maior avaliação do país, tranquilidade é o grande segredo para um bom resultado.

A caneta tem que ser esferográfica, transparente e de tinta preta. Atenção também à identidade que deverá ser apresentada. Não serão aceitos como documentos de identificação: protocolos; certidão de nascimento; certidão de casamento; título eleitoral; carteira nacional de habilitação em modelo antigo (anterior à Lei 9.503, de 1997); carteira de estudante; registro administrativo de nascimento indígena (Rani); crachás e identidade funcional de natureza privada; cópias de documentos válidos, mesmo que autenticadas, ou documentos digitais apresentados eletronicamente.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informa que, nos casos de extravio, perda, furto ou roubo da via original de documento oficial de identificação com foto, o participante poderá fazer as provas, desde que apresente boletim de ocorrência expedido por órgão policial no máximo 90 dias antes do primeiro dia de aplicação do exame. Além disso, terá de fazer a identificação especial, com coleta de dado biométrico, de informações pessoais e da assinatura em formulário próprio.

Minas Gerais tem 534.648 inscritos para o exame, que neste primeiro domingo terá redação, códigos e linguagens e ciências humanas. São 972 locais de aplicação em 188 municípios. Verificar com antecedência onde fará a prova e traçar o trajeto é outra dica para evitar atrasos e não se perder no meio do caminho. E na hora “H”, é essencial dosar o tempo para poder fazer a prova toda, como destaca o coordenador pedagógico do Colégio Santo Antônio, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, Ronaldo Sérgio Campos, o Kafunga. “Não se pode ficar parado numa questão que tem dúvida, senão não dá tempo de fazer as outras. E essa orientação inclui a redação”, afirma.

Fonte: com informações do Hoje em Dia/ Estado de Minas

Comentários

Deixe uma resposta

Fechar Menu