Machismo e racismo na Copa da Rússia

Em vídeo viral, um grupo de homens se aproveita do fato de uma jovem russa não saber português para assediar a moça

Foto: Reprodução da internet

A Copa da Rússia mal começou e algumas atitudes de torcedores brasileiros provocaram reações inflamadas na internet. Em um vídeo publicado na noite de sábado (16/6), alguns homens se aproximaram de uma jovem estrangeira, aparentemente russa, e fizeram uma gravação com ela. Nas redes sociais, o ato foi apontado como uma demonstração de machismo e racismo.

Entre outros impropérios, o grupo cantou “essa buceta é bem rosinha”, referindo-se à cor da mulher. A moça, que obviamente não entende uma única palavra em português, cantou junto a eles, sem ter noção do desrespeito. A objetificação pela qual a estrangeira passa – uma pessoa é reduzida aos órgãos genitais – foi considerada ofensiva pelos internautas.

Além do machismo alarmante, tendo em vista que um grupo de adultos achou por bem fazer comentários grotescos sobre o corpo de uma desconhecida na rua, há indícios de racismo no episódio. Ao exaltar a cor da mulher, deduz-se que outros tons de pele são inferiores.

Um dos integrantes do vídeo foi identificado por internautas como o ex-secretário de Turismo de Ipojuca (PE), à época no PSB, Diego Valença Jatobá. O município fica na região metropolitana de Recife. Jatobá foi procurado pela reportagem via Facebook, mas até a última atualização desta matéria, não havia respondido.

Entre internautas que se manifestaram contra o ato, está a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), ex-ministra da Secretaria Especial de Direitos Humanos. A parlamentar reagiu aos comentários de teor similar feitos pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) e pré-candidato à Presidência da República, em episódio ocorrido em 2014.

Diversas celebridades artistas continuam repercutindo comentários sobre o vídeo em que torcedores brasileiros entoam palavras de baixão calão em volta de uma jovem russa. Na gravação, os brasileiros se referem, de forma grotesca, às partes íntimas da russa. Sem compreender o português, a jovem cantou junto a eles.

O vídeo está disponível abaixo. As cenas são fortes e ofensivas.

Fonte: Metrópolis

Comentários

Deixe uma resposta