Exemplo de vida, luta e esperança

Por Munish, Coletivo Alvorada

Foto: Ricardo Stuckert

Marieta Rosa do Carmo, nascida dia 11 de julho de 1920 em Suzana, distrito de Brumadinho-MG. De uma família tradicional, é a caçula de uma família de 9 filhos.

Sempre muito conversadeira e atenta aos movimentos a sua volta, aprendeu a ler e escrever com facilidade, além de aprender musica com um professor que vinha de Ouro Preto para dar aulas para todos os irmãos. Republicana e defensora da Soberania do Brasil, fazia campanhas políticas para os candidatos progressistas de esquerda, a favor do povo, ensinando como marcar o X nas cédulas de votos, contrariando um irmão que foi candidato da direita e que perdeu as eleições como vereador devido as instruções da irmã caçula. Casou aos 16 anos com Lourival Ribeiro Campos, dentista prático que trabalhava na região, vindo de Pitangui-MG. Teve 5 filhos  (02 homens e 03 mulheres) e ficou viúva aos 28 anos com a filha caçula recém nascida. Tinha uma vida tranquila até então. Com a viúves se viu na condição de desamparo e foi à luta. Virou doceira, colocou venda (armazém da roça que vendia de tudo), fazia costuras entre muitas outras formas de ganhar seu dinheiro sem depender dos irmãos ou do pai. Cuidava da sua horta, criava galinha, porcos e plantações em meieira, ela fornecia a terra e famílias plantavam e na colheita dividam tudo. Também foi parteira da região onde realizou mais de 120 partos e atendia como homeopata todos da região, oficio que aprendeu com seu pai.

Ajudava a cuidar da igreja e das festas religiosas do arraial. Sempre ajudou a todos, desde banhar e vestir os defuntos, cuidar dos doentes, e acolhia em sua casa todos que batiam pedindo comida e ajuda das mais diversas. Aos 45 anos casou-se de novo com Sebastião Marquez, mas continuou com seus afazeres para garantir seu dinheiro. Sempre atenta e ligada com o destino político do Brasil, militante de esquerda, votou no Lula desde a sua primeira candidatura a presidência. Aos 70 anos fica viúva pela segunda vez.

Hoje ao completar seus 98 anos, fez dois pedidos: primeiro, que quer chegar aos 100 e fazer uma festa, com missa e quer convidar o ex presidente Lula; e segundo, quer que Lula seja novamente presidente do Brasil, para voltarmos a ter uma República onde os pobres estejam incluídos no orçamento deste país.

Ela está muito preocupada com o Presidente Lula na cadeia, lamenta que esteja num lugar onde nunca deveria estar, principalmente com a idade avançada dele. Fala que historicamente a justiça no Brasil sempre foi contra os pobres e quem defende os pobres, e que somente com o povo nas ruas vamos tirar Lula da cadeia e levá-lo de volta a presidência. Como mulher religiosa reza todas as noites para que Santo Antonio e santa Rita de Cássia olhe por Lula e que Nossa Senhora Aparecida interceda por ele e pelo Brasil.

Comentários

Deixe uma resposta