Carnaval de Belo Horizonte foi regado à protesto contra o fascismo do governo

O carnaval ainda não acabou, mas os gritos de protestos foram entoados unanimemente em todos os blocos de rua da capital mineira.

Foto: Coletivo Alvorada

O carnaval de Belo Horizonte, se tornou um grande palco para exposição política, críticas Às mazelas sociais e denúncias ao estado atual de fascismo e desgoverno que vivemos, desde a prisão do ex presidente Lula.

Em meio a marchinhas, sambas enredos, axé, funk, xote, ouviu-se por todos os blocos da cidade denúncias à prisão política de Lula, o assassinato de Marielle Franco e o fascismo de Jair Bolsonaro. Com frases de protesto, os foliões de bh mais uma vez fizeram da capital mineira o carnaval mais politizado. Com fantasias, gliter mostraram o descontentamento ao atual momento em que vivemos.

Os blocos “Truck do Desejo”, “Volta Belchior”, “Juventude Bronzeada” e “Alô Abacaxi”, distribuíram adesivos criticando o feminicídio, a LBGT fobia, o fascismo, a prisão arbitrária de Lula e por pedidos de paz e amor.

Caravanas também saíram de bh para irem à Curitiba, no “Carnaval Lula Livre”, o qual manifestou solidariedade ao ex presidente por conta da perda de seu neto, recentemente.

Foto: Luzilene Gaspar

Este foi o carnaval de Belo Horizonte: muita alegria, diversão, mas combativo e resistência ao fascismo e a ditadura que paira sobre nós.

#NinguémSoltaAMãoDeNinguém

 

Comentários

Deixe uma resposta