Belo Horizonte terá o carnaval mais politizado do país

Blocos de rua da capital mineira mandam recado a Bolsonaro, criticam prisão política de Lula e chamam à atenção da sociedade sobre problemas sociais como o elevado número de feminicídios e homicídios da população LGBTQI em Minas

Foto: Facebook/ Volta Belchior

Alguns dos principais grupos da capital mineira vão deixar clara a sua posição a favor de bandeiras como feminismo e dos direitos da população LGBT, entre outras. Nascidos de um movimento político de ocupação das ruas da cidade, alguns dos maiores blocos de rua de Belo Horizonte preparam desfiles que contestam posicionamentos do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e prometem ir para a avenida para deixar seu recado contra o atual governo. Apesar do momento sensível na política, que deixou o país dividido entre apoiadores e críticos de Bolsonaro, eles reforçam que a festa é democrática e participa quem quer, independentemente de partido.

No carnaval do ano passado, a tônica da festa foi a crítica ao ex-presidente Michel Temer. Uma das cenas mais marcantes foi uma multidão de foliões gritando “Fora, Temer” no sábado pela manhã, durante a passagem do bloco Então, Brilha, na Avenida dos Andradas, no Centro. De lá pra cá, o bloco também participou de atos “#Ele, não” e se posicionou abertamente contra o governo fascista de Bolsonaro.

“Somos a favor das mulheres, contra o racismo, tudo pautado na ideia de que gente é pra brilhar. Vamos fazer vários posicionamentos, porque acreditamos sim, no carnaval político e que, através da alegria, conseguimos lutar contra as opressões”, diz a cantora do Brilha Michelle Andreazzi. Não está no roteiro puxar um “Ele, não”. “Mas, se acontecer, não temos receio. Vivemos numa democracia e todos têm liberdade de expressão”.

Todos são bem-vindos no bloco. Só não é bem-vindo quem não respeita os direitos dos outros”, afirma. O bloco “Eu avisei BH”, também trará denuncias contra o governo Bolsonaro-Mourão e sua política de fascismo e ditadura militar.

Bloquinhos denunciam a prisão politica e arbitrária do ex presidente Lula e a impunidade na apuração das mortes da população negra e nos casos Marielle Franco e seu motorista Anderson

Diversos outros blocos irão ir pras ruas da capital com o grito “Lula Livre” e “Mariele Franco Vive”. Os blocos “Sou Vermelho” “Volta Belchior” irão trazer fortes denúncias e enaltecer os saudosos idos do governo de Lula que procurou ampliar a inserção das classes menos favorecidas.

Foto: Ofélia/ Coletivo Alvorada

A marchinha “Solta a Jararaca”, que homenageia o ex presidente do PT ficou em 2º lugar da classificação das marchinhas de Belo Horizonte, e será cantada nos principais bloquinhos que irão promover a politização da população. O coletivo Alvorada, estará distribuindo nos blocos e durante todo o carnaval, adesivos, bandanas, folders e comercializando camisas, abadás e broches. Será possível também conseguir os materiais na das 10 às 16 hs na Casa do Jornalista, Av. Álvares Cabral 400 , em frente ao Conexão Aeroporto. Os materiais também podem ser baixados no link https://petista.org.br/2019/02/28/baixe-os-materiais-lula-livre-para-o-carnaval/

Em defesa dos direitos e da população LGBT

Foto: Facebook/ Alo Abacaxi

Os blocos “Garotas Solteiras” e “Alô Abacaxi”, blocos LGBT defenderão a existência da população e criticarão o posicionamento político de Bolsonaro frente a esta população. O regente da bateria do bloco, Jhonatan Melo reforça que os dois grupos não têm qualquer problema de assumir o repúdio ao governo Bolsonaro. “Ele representa tudo que a gente teme”, diz. “O que a gente está discutindo não é a opção político-partidária, o discurso evoluiu, tem a ver com a pauta humana do carnaval. Não queremos deixar de ir pra rua por medo de violência, queremos respeito e não vamos tolerar o discurso de ódio”, afirma. “As pessoas que votaram em Bolsonaro são bem-vindas, desde que respeitem o espaço das outras pessoas”, diz.

“A gente é contra o Bolsonaro, mas democracia é isso, saber dialogar com o diferente. Seja de direita ou de esquerda, desde que a pessoa não seja violenta, não vejo problema de participar.

#Ninguém Solta a Mão de Ninguém

Venha participar do maior carnaval do país, e ser mais um a se somar a este grupo que defende a democracia, os ideais progressistas e que não ousa em se calar, nestes tempos de repressão e ditadura escondida (ou nem tanto assim). Se liga nos dias e horários da folia:

Agenda:

Sexta, dia 1 – Tchanzinho da Zona Norte .
Local : Av. Sebastião de Brito esquina com Irmã Eufêmia , Santa Rosa.
Horário : 18 hs.

Sábado,dia 2 -Volta Belchior .

Local : Rua Mármore esquina com Ermínio Alves .

Horário : 12 hs.

Domingo, dia 3 – Todo mundo cabe no mundo .
Local : Rua Piauí com Avenida Brasil.
Horário : 10 hs.

Queixinho – Distribuição de adesivos.
Local : Av. Bandeirantes .

Horário : 14:30

Segunda, dia 4 – Daquele Jeito .
Local : Av Álvares Cabral 400, em frente à Casa do Jornalista.
Horário : 12 hs

Terça , dia 5 – Peixoto
Local : Av Brasil , Praça do Colégio Arnaldo.
Horário : 12 hs

Pescoção
Local : Av. Álvares Cabral 400, em frente à Casa do Jornalista.
Horário : 14 hs.

Quarta – I Wanna Love You
Local :
Campo do Grota , Rua São Luís – Sagrada Família .
Horário : 12 hs.

Fonte: com informações do plox/ Coletivo Alvorada

Comentários

Deixe uma resposta