Sucesso de Salah vai muito além do futebol e promove tolerância religiosa e cultural na Europa

Egípcio é adorado por fãs, que dizem querer virar muçulmanos e ir à mesquita em cântico em estádio na Inglaterra

Héroi da classificação do Liverpool, time da liga inglesa de futebol, Mohamed Salah é ícone do esporte e de ruptura do preconceito religioso e cultural. O camisa 11 do Liverpool é um fenômeno, são 43 gols em 47 partidas, só nesta temporada.

Para os mais de 28 mil egípcios e 4 milhões de muçulmanos que vivem no Reino Unido, o sucesso do atacante transcende o esporte. Tendo o futebol como ferramenta, o camisa 11 é capaz de diminuir a intolerância religiosa e a hostilidade cultural, ambas potencializadas nos últimos anos após ataques terroristas cometidos por extremistas islâmicos.

Salah comemora todos os gols ajoelhando, apontando para o céu e agradecendo. E a torcida incorporou a devoção do atacante em uma das músicas cantadas durante as partidas no estádio de Anfield.

Para o Ímã Abu Usamah, líder religioso da maior e mais antiga mesquita de Liverpool, o alcance do jogador tem valor inestimável para a comunidade, afirma dizendo: “Salah e o que ele conquistou em um período tão curto de tempo é fenomenal. Muitas pessoas nesse país amam futebol, e o futebol é capaz de transpor barreiras que separam as pessoas. Ele tem sido um embaixador da nossa comunidade. Eu, que sou o Imã, que tenho o trabalho de convidar as pessoas para o islã, não teria conseguido conquistar o que Salah conquistou ao chutar a bola a gol.”

Fora o público que o assiste em campo, seus seguidores das redes sociais, 5,2 milhões no Twitter e 11,7 milhões no Instagram o tratam mais que um ídolo, um exemplo de vida.

Foto: reprodução da internet

Comentários
Fechar Menu